August 8, 2014

Review - móvel para acessórios

Estão na moda esses móveis super bonitinhos com detalhes românticos, cores mais contemporâneas e preços mais em conta. Já não era sem tempo, porque em geral esse tipo de produto é um ABSURDO DE CARO (mas já reclamei disso antes aqui), e resulta em muitos quartos (e casas) sem decoração legal, porque fica inacessível para maioria das pessoas.

Eu "descobri" que existia esses porta-jóias tamanho gigante na 25 de março, que apesar de ser a meca das tralhas chinesas baratas, era diferenciado, de qualidade diferente e também custava a partir de R$ 1000. -_- Desde então fiquei na vontade e comecei a pesquisar outras opções, e aí começaram a surgir essas lojas bacanas que ofereciam peças de MDF com uma base padrão super em conta que vem de sabe-se lá onde, mas que podem ser personalizadas e quebram um baita galho. A que eu acabei comprando, eu conheci por acaso quando fiquei ilhada da chuva no carnaval no Shopping Butantã, que tem uma feirinha de "artesanato" de domingos e feriados. Se chama Woodstock Artes.


O diferencial que me fez finalmente decidir comprar (além do preço justo, cerca de R$ 300) foi a liberdade total de customização que oferecem, e assim eu poderia pedir a peça exatamente como eu queria, não precisando mais ficar procurando pelo modelo perfeito pela eternidade. Eu pude escolher a partir da base como eu queria a tampa (com vidro ou sem), com ou sem o pé, os tamanhos das gavetas, cor (era essencial combinar com o restante da mobília, que não é branca como a maioria das que vendem por aí), acabamento, puxadores, detalhes das portas, divisórias removíveis, etc. Pra mim é o maior LUXO poder ter algo tão personalizado hoje em dia. Até o atendimento segue esse conceito, é de uma educação de dar gosto: te tratam como um indivíduo e não respondem qualquer porcaria por e-mail (alô, rustika!! :/). O pagamento pode ser feito por depósito, cartão no local, pagseguro e paypal. A entrega é feita sem taxas pra quem mora perto ou pelos correios mediante frete, com o produto bem embalado e protegido. Foi muita facilidade pra não ficar tentada a comprar. :x


Apesar de não ser uma peça em madeira maciça do jeito que costumo dar preferência, é uma espécie de móvel que dá para se permitir esse desapego, por não ser algo extremamente essencial (como uma cama :P). O acabamento, no entanto, não é 100% meticuloso, notem que alguns dos puxadores não estão simétricos e a pintura tem alguns "buracos". Também reparei que a durabilidade não vai ser tão grande, pois qualquer contato maior risca o material ou deixa marcas. O tempo de espera foi maior do que o previsto por conta de algum pepino na fábrica, e, apesar de eu não estar com pressa, encomendei em março e chegou apenas em julho.


Mas, no geral, estou realmente muito satisfeita. É uma delícia o móvel ser exatamente como eu queria, não ter custado uma nota e poder organizar melhor minhas bijuterias, acessórios e meias sem socar tudo em 38954894589 caixas diferentes, além de me servir como criado mudo - ter mais de mais de uma função é uma idéia que apóio e também uma necessidade para espaços pequenos!  


July 19, 2014

Memory tea party e programa Kawaii International

Organizado pela embaixadora Akemi Matsuda, esse meeting fez parte do cronograma brasileiro de gravações do produtor do programa Kawaii International do canal NHK. Tudo indica que ele ficou mais de um mês (!) no país nessa época da Copa, visitando algumas das cidades-sede. Só Deus sabe o que ele filmou em Cuiabá e se isso tinha algo relacionado à j-fashion, mas posso dizer o que sei de São Paulo: além desse tea party, teve entrevista com algumas lolitas, visita aos estúdios do Maurício de Sousa (?) e cobertura do Festival do Japão.


Um resumo de como foi: 

- Ele filmou os outfits de cada participante individualmente, de corpo inteiro e dos detalhes.

- Fizeram a coreografia da música da Misako Aoki, Lolitina (e eu fugi e me escondi atrás do stand da Devas :x).
- Foi pedido que cada pessoa levasse um objeto especial que marcou sua história como lolita, por isso uma por uma mostrou o que havia trazido. Eu não consegui pensar em nada com tanto apego em relação ao estilo, apesar de ter feito sim impacto na minha vida de várias formas, então na falta de algo mais simbólico e poético, levei a primeira revista de j-fashion que comprei, uma kera de 2003. Apenas outra pessoa (toca aí por não ter me deixado sozinha o/) levou uma revista, que por acaso era a Made in Japan que eu e a Akemi aparecemos, então foi muito curioso estar ali presente (e eu perder a chance de tirar foto com elas, damn). A maioria das meninas presentes falaram com o coração sobre como lolita, a Akemi e as amizades relacionadas representam algo tão importante pra elas. Isso gerou uma avalanche de lágrimas contagiosas. haha Nunca vi tantas em um meeting lolita (nem o produtor do programa escapou)!


- Recebemos a presença ilustre e virtual da Misako Aoki, que enviou um vídeo especialmente para esse meeting. Foi curtinho, mas muito especial a consideração que teve de fazer isso, falando diretamente pros brasileiros o quanto apreciava o país. 


- E enquanto tudo isso acontecia... o livro dela estava sendo vendido oficialmente nesse meeting e as coisas lindas da loja Devas também.


Dei muita sorte de sentar na mesa certa, compatível com meu skill de etiqueta em tea parties. 8D Formada pela Berta, Raquel, duas Carols, dois potes de açúcar, porque só um não basta (eu abomino, mas elas usaram por mim e por umas 5 pessoas :p) e 3 travessas de sanduíches. Mas nossos vizinhos também eram incríveis, conheci indivíduos adoráveis e divertidos nesse dia, que dificilmente conseguiria nos meetings fechados que costumo ir, ou nos abertos para toda a comunidade que são cheios demais. Esse tanto de fotos não faz justiça, mas o que vale é a intenção!


A temperatura estava perfeita para usar lolita, então pude usar exatamente o que eu queria: meu segundo dream dress da Victorian Maiden, Regimental Stripe. Pela origem militar e britânica, combinei com um badge no chapéu, botas, meias argyle e vestido aberto para aparecer a saia vermelha por baixo. Ao olhar as fotos achei que ela acabou se destacando mais do que eu gostaria por causa da cor forte e não pareceu tão harmonizado quanto imaginei que estava olhando no espelho, mas era um dos únicos detalhes não tão clichês que eu estava contando... Mudaria algumas coisas, mas acho que no geral estava bem no jeito que gosto de usar.


roupas e acessórios
peruca: yh520 (tao bao)
broche badge com penas: tao bao
chapéu: tao bao
colar gate keeper: selfmade
vestido Regimental Stripe: victorian maiden
camisa: le carrousel
saia: selfmade
meia-calça argyle: tao bao
bootas: doppo (generalli shoes)
bolsa: metamorphose
anel de coroa: le café
anel de chave: le café
anéis alice in wonderland: paris kid´s

maquiagem
lasting white cream foundation natural ocher 01: dhc
concealer cover & stretch 01 light beige: canmake
blush cupcake all over - raspberry mousse cake: etude
sombras: the balm
máscara para sobrancelha: heavy rotation
delineador líquido: heroine make
batom intense color 33: o boticário
cílios superiores JU04: nuts

O local 

Conhecer a Teakettle já estava na minha to-do list há muito tempo e essa foi a oportunidade perfeita para as minhas expectativas serem superadas. A casa de chá tem tudo: grande espaço, de ambientes para casais aos que comportam várias pessoas, mesas ao ar livre, sofás, lareira, pianos, decoração adorável, conforto, boa comida, bons chás, atendimento excepcional. Fotografar lá é como registrar outfits lolita: sempre vai ter um detalhe em todo canto que você olhar. A dona Sylvia, a proprietária, é como se fosse uma avó, que te recebe com toda a simpatia em casa, te enche de comida e te deixa quentinho e confortável o tempo inteiro. :P Agora que sei que o estabelecimento não fica do outro lado da cidade (pra mim, ao menos) como as Condimentos da vida, pretendo voltar assim que puder, para meetings lolita ou não.


Por conta das restrições alimentares que eu tenho no momento, não pude provar muita coisa do que foi servido, mas foi basicamente: água aromatizada, que de supreendente tinha apenas a aparência - o gosto de água filtrada da Sabesp sobressaía mais do que as frutinhas exóticas e da hortelã... a mineral viria a calhar. Talvez a qualidade da água possa ter interferido nos chás, mas não foi tão perceptível pro meu paladar quanto a água que não foi aquecida ou felizmente usaram uma diferente. O chá Maria Antonieta, nome que costuma ser associado com florais, é na verdade uma mistura do verde com outras ervas e estava maravilhoso, suave, lembrando mais o chá branco (meu preferido). O de amarena, um tipo de cereja, foi possivelmente uma das únicas infusões que já experimentei na vida que não me causou completo repúdio por conta de gosto artificial e ácido, que além de tudo tinha uma cor maravilhosa. Nada melhor do que ir em um local especializado que vai te servir chás e infusões de verdade, não aquelas farsas industrializadas que se vê por aí. :P



Também experimentei rice crackers com mascarpone singelos e deliciosos que o chef fez exclusivamente na hora pra mim e se eu não tivesse insistido, nem deixariam eu pagar. :o Impressionante como são atenciosos com cada um dos convidados. Minha aposta é que os R$ 35 realmente valeram pra quem podia aproveitar 100% do tea party e comer e beber à vontade só maravilhas a tarde inteira.


Achei que foi um azar que o tea party tenha sido em uma sexta e não ter dado tempo de a notícia espalhar para que mais pessoas comparecessem, e que a maior parte da comunidade j-fashion nem tenha ficado sabendo que as gravações estavam sendo feitas. Seria interessante que um programa tão importante quanto esse, que o mundo inteiro vai assistir, pudesse mostrar que existem muito mais pessoas interessadas aqui no país (nem que fosse na Anime Friends), mas é assim que funcionam gravações de TV, não é? É tudo muito urgente e rápido (o tea party em si foi apenas das 13hs até as 17hs), e a passagem deles por aqui não foi diferente: cada pessoa contatada simplesmente ia dançando conforme a música.

Por outro lado, fiquei aliviada que nesse dia não tivemos que atuar, fingir ou dar entrevistas, apenas aproveitar o meeting (mesmo que tendo duas câmeras sempre à espreita, é claro) e o produtor era realmente muito simpático. Eu fiquei impressionada com a organização, empenho e entusiasmo dos que estava presentes, e torço para que seja isso que transpareça no programa. Ainda assim isso não me tira a ansiedade de ver o que exatamente será mostrado, então rezemos! 

O programa vai ao ar dia 26 desse mês (teoricamente às 12:10 e 18:00) com reprise no dia 27 (às 00:10 e 6:10), e como se não bastasse, outros trechos sobre o Brasil devem aparecer em programas futuros, em setembro e novembro. Dá pra assistir pela TV à cabo se a sua tiver o canal NHK incluso ou pelo site ao vivo [EDIT: não foi dessa vez que passaram as gravações do tea party, que devem ficar pra setembro mesmo. No entanto, mostaram outras cenas gravadas no país no bloco "Kawaii around the world" com a Akemi Matsuda, Carol Ruiz e o Festival do Japão]. Normalmente as pessoas colocam no youtube depois, então se eu souber de qualquer coisa, anunciarei na página do blog

Por hora, fiquem com o vídeo que fizemos lá. Acho que transmite muito bem como foi o meeting e toda a emoção que emanava dele. <3



Fotos e vídeo: Matheus Pinheiro
Fotos da comida e outras que tirei: flickr